Oficina aborda desafios da comunicação e iniciativas voluntárias de relato de inventários corporativos

Além de identificar erros frequentes e boas práticas de comunicação, os participantes da oficina também puderam discutir oportunidades de melhoria no Registro Público de Emissões

GVces, 16/04/2014
Bruno Toledo

Facilitar o acesso dos públicos de interesse de determinada organização às informações sobre suas emissões de gases de efeito estufa (GEE) é um importante objetivo associado à elaboração de inventários corporativos.

Com informação de qualidade e uma linguagem clara, esse documento pode gerar ganhos importantes de imagem e de transparência para a organização. No entanto, um inventário com informações incompletas e escrito com pouca clareza pode gerar o efeito contrário – dúvidas e desconfiança sobre a organização e suas operações.

Por isso, um desafio chave para as organizações na hora de elaborar seus inventários é saber como expressar as informações sobre emissões de maneira clara e objetiva, sem espaço para interpretações dúbias ou desencontradas. 

O Programa Brasileiro GHG Protocol, do Centro de Estudos em Sustentabilidade da FGV-EAESP (GVces), realizou uma oficina em 13 de março passado para debater esses equívocos e apontar soluções que deixem esses documentos mais precisos. “É muito importante que esse tipo de documento seja muito claro e objetivo, já que a sua proposta é servir como um instrumento de comunicação da organização junto aos seus stakeholders”, explica Priscila Lacerda, pesquisadora do GVces e do Programa Brasileiro. 

Durante a oficina, os participantes e a equipe técnica do Programa analisaram exemplos de erros que são normalmente encontrados em inventários corporativos e relatórios de sustentabilidade. A partir de cada erro, a equipe do Programa Brasileiro apontou possíveis soluções e apresentou boas práticas de comunicação nesse tipo de documento, de forma a apoiar as organizações na elaboração de relatórios concisos e claros para seus diferentes públicos de interesse.

Além de analisar os erros mais frequentes na comunicação de inventários e relatórios, a oficina também abordou as principais iniciativas voluntárias que utilizam o inventário de emissões de GEE, como o Global Reporting Initiative (GRI), o Carbon Disclosure Project (CDP), o Dow Jones Sustainability Indices (DJSI), o Índice Carbono Eficiente (ICO2) e o Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE) da BM&FBOVESPA – esses dois últimos contam com apoio técnico do GVces.

Os participantes também puderam analisar de forma construtiva o Registro Público de Emissões, a plataforma do Programa Brasileiro para divulgação dos inventários elaborados pelas organizações membro, dando contribuições para possíveis melhorias no sistema de relato.

Fotos: Felipe Frezza (GVces)

Compartilhar:


Mais Lidos | Recomendados